Oferta!

Azul cobalto

R$35,00 R$17,50

Autor: Maria Teresa HORTA
ISBN: 9788565505475
Edição: 1
Lançamento: 01.01.2014
Peso: 250.0g
Dimensões: 140.0 x 210.0 x 11.0 mm
Páginas: 183

Em estoque (pode ser encomendado)

Descrição

Azul Cobalto reúne 12 contos que foram publicados em Portugal: “Lídia”, “Calor”, “Uriel”, “A princesa espanhola”, “Com a mão firme e doce”, “Raízes”, “Laura e Juliana”, “Efémera”, “Eclipse”, “Leonor e Teresa”, “Transfert” e “Azul Cobalto”. A pedido de Maria Teresa Horta, a obra foi editada no Brasil com o texto original, no português de Portugal, porque a autora discorda do acordo ortográfico assinado entre os países lusófonos. A poetisa, ficcionista e jornalista portuguesa Maria Teresa Horta lança no Brasil Azul Cobalto, livro de contos editado pela editora Oficina Raquel (Rio de Janeiro). Uma das mais importantes figuras da literatura portuguesa, Maria Teresa Horta conjuga com perfeição a luta feroz pelas causas que defende e o fulgor da escrita. Com um vasto e diferenciado acervo literário que inclui poesia e prosa, a obra da escritora tem o erotismo e a intervenção social como temas constantes. Os textos, no conjunto, falam sobre questões que permeiam o universo feminino a partir de contos que valorizam a mulher no tempo e no espaço dentro da cena literária. Além disso, tratam de temas antigos à literatura, especialmente a portuguesa, como o fingimento e a relação com a história do país.

Sobre o autor
Filha de Jorge Augusto da Silva Horta, 5.º Bastonário da Ordem dos Médicos de 1956 a 1961, e de sua primeira mulher D. Carlota Maria Mascarenhas – a qual era neta paterna, por bastardia, do 9.º Marquês de Fronteira, 10.º Conde da Torre de juro e herdade, Representante do Título de Conde de Coculim, 7.º Marquês de Alorna de juro e herdade e 11.º Conde de Assumar de juro e herdade, ele próprio também filho natural – é oriunda, pelo lado materno, de uma família da alta aristocracia portuguesa, contando entre os seus antepassados a célebre poetisa Marquesa de Alorna.

Frequentou o Liceu D. Filipa de Lencastre. Estudou na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Dedicou-se ao cine-clubismo, como dirigente do ABC Cine-Clube, ao jornalismo e à questão do feminismo tendo feito parte do Movimento Feminista de Portugal juntamente com Maria Isabel Barreno e Maria Velho da Costa, as Três Marias. Em conjunto lançaram o livro Novas Cartas Portuguesas, que, na época, gerou forte impacto e contestação.

Teresa Horta também fez parte do grupo Poesia 61.

Publicou diversos textos em jornais como Diário de Lisboa, A Capital, República, O Século, Diário de Notícias e Jornal de Letras e Artes, tendo sido também chefe de redacção da revista Mulheres. Esta revista, um projecto pessoal de Maria Teresa Horta, consistiu num projecto feminista, de forte cunho essencialista.

Foi casada, em segundas núpcias, com o jornalista Luís de Barros, de quem tem um único filho, Luís Jorge Horta de Barros (4 de abril de 1965), casado com Maria Antónia Martins Peças Pereira, com dois filhos, Tiago e Bernardo Barros.

A 8 de março de 2004 foi feita Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique pelo Presidente da República Portuguesa, Jorge Sampaio.

Foi galardoada com o Prémio D. Dinis 2011 da Fundação Casa de Mateus pela sua obra “As Luzes de Leonor”, o qual aceitou, embora se recusasse a recebê-lo das mãos do Primeiro-Ministro Pedro Passos Coelho, ao qual cabia entregá-lo, alegando que este está “a destruir o país”.

Informação adicional

Peso 250.0 g
Autor

Ebook

Ebook

Amazon 9786586280098

Kobo 9786586280098

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Azul cobalto”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *